Valor do Seguro Desemprego



O Seguro Desemprego é um importante benefício que ampara milhares de trabalhadores que sofreram a perda de seus empregos. E, como a regra do Seguro Desemprego, entre outras, é auxiliar somente os profissionais que foram demitidos sem justa causa é importante que todos os trabalhadores, empregados ou não, conheçam como funciona e quais são os valores do benefício.

Valor do Seguro Desemprego

Valor do Seguro Desemprego

De certo modo, o Seguro Desemprego é um alívio imediato para o trabalhador, pois ele não deseja ficar sem a sua fonte de renda para se sustentar e até arcar com as despesas de sua família. Quando ele sofre uma demissão sem justa causa é o mesmo que ficar desprevenido da noite para o dia.

Em outras palavras, o Seguro Desemprego é a alternativa para quem não esperava perder o seu trabalho e com o qual contava como sua única fonte de renda. Continue comigo neste artigo que irei te mostrar quais são os novos valores desse importante beneficio concedido pelo Governo Federal.

Valor do Seguro Desemprego Atualizado

Os valores sofreram um reajuste devido ao aumento do salário mínimo que passou de R$ 788 para R$ 880, cujo valor está em vigor desde o dia 01 de Janeiro de 2016. Assim sendo, o valor das três faixas salariais ficou da seguinte forma:

  • Salário até R$ 1.360,70: o valor da parcela é o resultado do valor do salário recebido multiplicado por 0.8;
  • Salário entre R$ 1.360.71 até R$ 2.268,05: Deverá pegar o valor do salário, multiplicar por 0.5 e somar com 1.088,56;
  • Salário acima de R$ 2.268,05: O valor da parcela será único, ou seja, o trabalhador receberá R$ 1.542,24.

Quem tem direito ao Seguro Desemprego?

Os trabalhadores que podem solicitar o Seguro Desemprego devem observar atentamente as novas regras para ter acesso ao Seguro Desemprego:

  • Deverá ter sofrido demissão sem justa causa e ter recebido salário de empresa que atue na iniciativa privada por um período mínimo de 12 meses referentes aos 18 meses anteriores à data da dispensa;
  • Mínimo de 9 meses referente aos 12 últimos meses que antecedem a data de dispensa, desde que esta seja a segunda solicitação do beneficio,
  • E, por cada um dos 6 meses anteriores a data em que houve a dispensa para os demais números de solicitações.
  • É importante mencionar que essas mudanças são recentes. Elas foram publicadas na Lei 13.134, cuja data é 16 de junho de 2015.

Parcelas do Seguro Desemprego

Cada caso de concessão do beneficio pode diferenciar de trabalhador para trabalhador uma vez que, o Ministério do Trabalho definiu uma quantidade específica de parcelas do seguro de acordo com o tempo de trabalho que o beneficiado realizou. Veja a seguir como funciona:

  • Se o pedido for realizado pela primeira vez poderá receber 4 ou 5 parcelas. O primeiro caso se refere ao caso do trabalhador que comprove o tempo de trabalho entre 18 e 23 meses. No segundo caso, o trabalhador deverá comprovar que trabalhou no mínimo 24 meses;
  • Se o pedido for realizado pela segunda vez poderá receber de 3 a 5 parcelas. O primeiro caso se refere ao caso em que se comprove o tempo de trabalho entre 9 meses e 11 meses. Já o caso de 4 parcelas é para a comprovação de trabalho entre 12 meses e 23 meses. E para se receber 5 parcelas, será necessário comprovar o exercício de atividades acima de 24 meses;
  • Se o pedido for realizado pela terceira vez, o trabalhador receberá 3 parcelas se comprovar o tempo de trabalho entre 6 meses e 11 meses. Para receber 4 parcelas, a comprovação é, de no mínimo 12 meses e máximo de 23 meses. E, por fim, serão concedidas 5 parcelas se a comprovação for referente ao período mínimo de 24 meses.
Avalie:
1 Estrela2 Estrelas3 Estrelas4 Estrelas5 Estrelas (1 votes, average: 5,00 out of 5)
Loading...

Responder