Ciências sem fronteiras inscrição



Todos os anos, milhares de estudantes do ensino superior, nas áreas de graduação, pós-graduação, doutorado e cursos tecnólogos são beneficiados pelos intercâmbios oferecidos pelo programa Ciência sem Fronteiras. Essa é uma oportunidade ideal para o estudante agregar conhecimentos a sua formação, além de ser um diferencial no seu currículo para o mercado de trabalho.

Confira os editais de inscrição no Ciência sem Fronteiras

Confira os editais de inscrição no Ciência sem Fronteiras

Criado em 2011, o programa Ciências sem Fronteiras é uma oportunidade para alunos do ensino superior a realizarem parte de sua formação no exterior. O intercâmbio possibilita a troca de conhecimento, a transferência tecnológica, e o desenvolvimento da inovação no país, sendo uma das áreas estratégicas do Ministério de Ciências e Desenvolvimento Tecnológico para o desenvolvimento do setor.

A inscrição é divulgada na forma de edital a cada período pelo Ministério da educação, e pelas instituições responsáveis pelos intercâmbios: a CAPES e o CNPq. Os editais podem ser conferidos no endereço cienciassemfronteiras.gov.br assim que disponíveis.

Como participar do CsF

O candidato que desejar participar de intercâmbio para sua formação precisa atender a alguns requisitos para participar do programa. Primeiro, precisa ser proficiente na língua do país para qual pretende viajar. O candidato pode fazer exame de proficiência junto a instituição de ensino, e precisa da homologação da sua inscrição para participar do programa. Além disso, é necessária que essa seja credenciada ao programa Ciências sem Fronteiras;

Passo a passo para a inscrição no programa Ciências sem Fronteiras

Passo a passo para a inscrição no programa Ciências sem Fronteiras

Para participar, o candidato precisa ser estudante de área tecnológica que faça parte do programa, como Ciências exatas, matemática, Engenharia, Biologia, Saúde ou Química. É importante salientar que o objetivo do programa é a transferência de conhecimentos tecnológicos para o país, por isso não são contemplados cursos de ciências sociais. O estudante precisa estar matriculado em instituição de ensino federal, pública, ou privada, na qual o aluno tenha tirado mais de 600 pontos no ENEM.

Para se matricular, o candidato deve seguir as orientações apresentadas em edital no site do Ciências sem Fronteiras, e uma vez aprovado, o candidato estará apto para o ingresso no programa.

O Candidato beneficiado pelo programa terá direto ao auxílio-deslocamento – que paga as passagens aéreas para o destino – seguro saúde, auxílio moradia e uma mensalidade para pagar suas despesas diárias em moeda local, além do material didático para o curso. O programa teve como meta, em 2014 oferecer 101 mil bolsas para intercambistas, e é esperado que para 2015 essa meta seja ampliada pelo Governo Federal.

Aprendendo um Idioma

Caso o participante tenha interesse em praticar o intercâmbio mas não seja fluente no idioma do país de destino, o Ministério da Educação oferece um apoio especial para o aprendizado, o programa Idiomas sem Fronteiras. Nesse programa, o aluno candidato a uma bolsa de intercâmbio recebe gratuitamente aulas através de ensino presencial ou a distância.

Por enquanto, o governo disponibiliza o ensino de dois idiomas: o inglês e o francês. O estudante do curso de línguas receberá o apoio necessário para aprender ou aperfeiçoar o seu idioma, e conforme progride no curso, pode solicitar o exame de proficiência no idioma.

Avalie:
1 Estrela2 Estrelas3 Estrelas4 Estrelas5 Estrelas (1 votes, average: 5,00 out of 5)
Loading...

Responder